^Topo
foto1 foto2 foto3 foto4 foto5

A maior academia de Kung Fu na região de Guarulhos foi Fundada em 2001 pelo Sifu (Mestre) Jardel Oliveira, que é formado nos estilos tradicionais Hung Gar e Wing Chun, sua sede é a mais conceituada escola de artes marciais chinesas em Guarulhos. No Kung Fu o praticante aprende a ter disciplina, auto-controle, coordenação motora, flexibilidade e memória, proporcionando assim uma melhor qualidade de vida e saúde, além de aprender técnicas de defesa pessoal. Navegue por nosso site e descubra mais sobre nossa escola e sobre a arte do KUNG FU!


Fu Long Chuen
2409-9841
fulongchuen@hotmail.com

Escola de Kung Fu

Fu Long Chuen

Escola de Kung Fu

Estilos

Wing Chun

O Wing Chun (Ving Tsun ou Wing Tsun) é um sistema de luta surgido no sul da China que se distingue pela economia de movimentos sendo um sistema de defesa pessoal. Simples e eficiente. É uma arte marcial singular, desenvolvida para permitir que qualquer tipo de pessoa, independentemente de tamanho, força ou sexo, possa se defender de agressores maiores e mais fortes.

A principal diferença entre os estilos praticados atualmente está em seu conceito de defesa. Enquanto em outras artes marciais procura-se acima de tudo bloquear o ataque do agressor para depois contra-atacar, ou mesmo desviar este ataque para depois contra-atacar, o princípio básico do Kung Fu e do estilo Wing Chun é o de utilizar esta força contra o próprio agressor, onde a defesa já funciona como ataque e vice-versa.

Embora muitos mestres oficiais do Wing Chun espalhados por todo o mundo trabalhem para o crescimento deste estilo, sua grande popularidade no ocidente veio a partir de seu praticante mais famoso, Bruce Lee, discípulo de Yip Man, que o praticou e o valorizou, utilizando-o como base para o estilo de luta que ele viria a criar tempos depois, o Jeet Kune Do.

Dentro do Wing Chun existem diversas "famílias" ou seja, ao longo do tempo, o estilo foi evoluindo e sofrendo alterações pelos seus mestres, alterações essas, que foram sendo ensinadas aos novos praticantes dando origem a diferenças de algumas técnicas nos grupos (famílias) de Wing Chun. Cada família fez alterações que visam aperfeiçoa-lo e adapta-lo para a sua própria realidade, mantendo os princípios fundamentais do estilo o que é permitido pela arte marcial.

O Wing Chun começa a partir de 1733 quando o Templo Shaolin foi destruído pelos Manchus. Yim Yee, um dos quinze discípulos sobreviventes, se refugia próximo da montanha Tai Leung e passa a viver como um simples comerciante, junto à sua filha Yim Wing Chun. Um lutador local chamado Wong era apaixonado por ela e a ameaçou para que se casasse com ele. O velho Yim Yee já não era capaz de defender sua filha e então, uma cliente que costumava fazer compras em sua loja, percebeu sua preocupação e depois de ouvir a história do velho decidiu ajudá-lo.

Essa cliente era a monja Ng Mui, que estava hospedada no Templo da Garça Branca. Ela ensinou a filha do velho por três anos, e depois disso Yim Wing Chun conseguiu derrotar Wong. Pouco tempo depois casou-se com o lutador de Kung Fu Leung Bok Chau. Ao observar seu esposo praticante, Yim começou a fazer críticas as falhas do estilo e seu esposo, chateado com as constantes críticas, a desafiou e perdeu. Logo após ele quis aprender o estilo marcial da esposa e o renomeou para Wing Chun em homenagem a ela.

Vários anos depois, Bok Chau ensinou o já famoso Wing Chun ao médico Lan Kwai, que somente depois de velho decidiu ensinar o estilo a um jovem ator de ópera chinesa chamado Wong Wah Bo. Em uma de suas viagens, Wah Bo conheceu Yee Tei, um lutador de bastão longo e com a amizade estabelecida, um aprendeu as técnicas do outro. Com a arte já mais evoluída, Yee Tei ensinou as técnicas à Leung Jan, um médico e comerciantes de ervas que morava em Fatshan, Jan ensinou a arte marcial aos seus filhos Leung Tsun e Leung Bik e a alguns discípulos.

Perto da loja havia um homem chamado Chan Wah Shun, cujo sonho era ser discípulo do mestre Leung Jan. Porém quando Chan pediu para o mestre aceitá-lo, ficou triste com o não recebido. Sem desistir do sonho, Chan conheceu um aluno chamado Wah, conhecido como homem de madeira, que tinha esse nome por ser muito forte e constantemente quebrar os bonecos de treino conhecidos como Mudjong (Mu ren zhuang). Assim Chan conseguiu treinar as técnicas.

Certo dia, Wah levou Chan ao local de treino e disse a Leung Tsun, filho do mestre, e disse que seu amigo era perito em Wing Chun. Tsun o desafiou e num golpe forte de Chan, Tsun caiu e quebrou a cadeira do mestre Jan. Todos correram para arrumá-la mas a noite quando o mestre sentou nela a mesma desmontou. Depois de lhe explicarem o que tinha ocorrido, Jan solicitou a presença de Chan no local e, após este mostrar suas perícias marciais, o mestre acabou por aceitá-lo como seu discípulo.

Como Chan trabalhava com dinheiro, era comum ele ter que usar suas técnicas em combates reais, o que possibilitou seu aperfeiçoamento e ele acabou por virar mestre no estilo. Já idoso, foi convidado a ensinar o Wing Chun no templo ancestral da rica família Yip, e neste local ele se tornou mestre de Yip Man, que futuramente seria o mestre de Bruce Lee.

Louva-a-Deus - Por Chon Ki Chang

Segundo dizem os antigos mestres, o Estilo Tang Lang Quan foi concebido por Wang Lang cuja vida e origem são tão obscuras quanto o começo do próprio estilo por ele criado. Como muitos estilos de Kung Fu que existem hoje, o Tang Lang Quan recorre as lendas quando se trata de gênese de estilo. Com raras exceções, quase a totalidade dos estilos de Kung Fu alega ter suas raízes no lendário Templo Shaolin.

Como todos os mitos e lendas, em suas essências há verdades, porém mentem seus pormenores. De acordo com recentes pesquisas realizadas na Província de Shan Dong, a Terra Natal do Estilo Tang Long Quan (Louva-a-Deu), Wang Lang não criou o estilo em Dhan Dong como muitos se acreditavam, mas sim na Província de Shan Xi, vizinha à Shan Dong, e na minha opinião até o próprio nome do fundador do estilo, Wang Lang, e o nome do estilo, Tang Lang se rimam, o que insinua um arranjo, posterior a gênese do estilo, feitos por seguidores do estilo Lin, tão famoso que o Templo tem atraído tantas mentes brilhantes e idôneas quanto moscas atraídas ao cheiro de ...,criando assim um clima propício para muitos mentirosos e impostores charlatões conseguirem enganar muitos iniciantes aspirantes a nobre Arte Marcial Kung Fu.

Wang Lang viveu no começo do século 17, uma época de transição política um tanto brusca devida a subjeção da China com seu povo ao comando político e militar do Império Manchtt que posteriormente chamado de Dinastia Qing ( 1 644- l 91 I/ l 2) fundada por Nurhachi do Clã "Aisin Gioro” da tribo Chien Chou.

Wang Lang primeiramente foi estudar as artes de luta no Templo Shao Lin no Monte Song da Província de He Nan. Após anos de árduos treinamentos no templo, Wang Lang decidiu provar a si mesmo suas habilidades adquiridas no templo. Um dia ele e seu colega do Templo Dan Tong do estilo Tong Bei Quan, que possuía imensa força em seus poderosos golpes, encontram um exercito lutador. Os dois resolveram testar a capacidade de cada um numa luta que durou dois dias. Wang Lang não conseguiu vencer o adversário no duelo e reconhece sua derrota. Em um dia quente de verão ele vai a floresta próximo do templo para meditar e ouve estranhos barulhos vindos da floresta. Eram sons emitidos de uma luta travada entre um louva-a-deus e uma cigarra.

 Não obstante seu tamanho inferior, o louva-a-deus tratava de lutar com uma certa habilidade que logo chamou a atenção de Wang Lang. Fascinado com o que viu, Wang Lang voltou ao templo com o inseto para que ele pudesse observar os peculiares movimentos de luta do louva-a-deus.

O louva-a-deus, ao ser atacado pelo pauzinho que Wang Lang utilizava virava a cabeça com agilidade esquivando o corpo de maneira a facilitar a defesa e o ataque ao mesmo tempo. Usando duas patas dianteiras, de um modo quase humano, uma segurando o pauzinho e outra ataca com uma destreza incomum. Com um membro curto - suas patas - mas puxando o adversário a sua proximidade o inseto compensava sua desvantagem como se tivesse membros longos. Durante alguns meses que seguiram o acontecimento, Wang Lang conseguiu discernir com uma clareza oito modos duros e retos e doze maneiras suaves e sinuosas dos princípios combativos inspirados dos comportamentos espetaculares de luta do Louva-a-deus.

Juntando os passos ágeis imitando os dos macacos que habitavam as florestas circundantes do templo, conseguiu estabelecer primeiros alicerces do Tang Long Quan, nome dado por ele ao estilo louva-a-deus.

De volta a terra natal, ele percebeu os avanços da invasão dos Manchus sobre o território chinês, era mais do que uma preocupação simples de um estudante aspirante a inabaláveis técnicas da luta.

O que estava sendo ameaçado era do interesse de todos os que se preocupavam com a permanecia da soberania da China e seu povo. Aliando-se a um grupo de rebeldes da sua aldeia ele sonha com a recuperação da Dinastia Ming. E acabar com a corrupta e decadente Dinastia dos Manchus

Depois de fracassos iniciais de rebelião, Wang Lang foi obrigado a deixar sua terra para escapar das perseguições das leis dos Manchus.

Viajando ora vagueando pelas várias províncias setentrionais da China, de Monte Kun Lun a inúmeros lugares, conheceu muitos amigos e inimigos que possuíam diferentes tipos de habilidades combatíveis enfim radicando no Monte Lu Shan da Província Shan Dong para poder estudar, sintetizar e refletir os conhecimentos adquiridos ao longo da sua tumultuada vida e as experiências pessoais das incompatíveis lutas para criação de um sistema de combate avançado para a época.

Juntos ele e, outrora seu arqui-rival mas agora valioso colaborador, seu colega do Templo Shao Lin absorveram as técnicas essenciais dos 17 estilos mais importantes do seu tempo com uma adaptação sempre baseada em inspirações vindas das inúmeras observações de lutas de louva-a-deus e criaram o famoso estilo de Kung Fu conhecido como Tang Long Quan, os golpes de Louva-a-Deus em memória de bichos que deram imortais lições de combates eficientes e elegantes.

Ao chegar a suas velhices, os dois fundadores do Tang Long Quan legaram seus conhecimentos e habilidades de lutas aos pacatos sacerdotes do Monte Lu San para que o Tang Lang Quan se perpetue para posteridade. 

 

Hung- Gar Kuen

A origem do Hung-Gar vem do Templo Shaolin de Fukien localizado no Sul da China, tão importante quanto o famoso Templo Shaolin de Honan localizado ao norte da China na província de Honan. O Templo Shaolin de Fukien foi construído nas "Noves Montanhas de Lótus" (Gau Li Shan) na província de Fukien no sul da China. Assim como o Templo de Honan, o Templo de Fukien tornou-se berço de muitos mestres de Kung-Fu, dentre eles Cheen Sin mestre de Hung Hee Kung, que mais tarde fundaria o estilo Hung-Gar.

Após a destruição do Templo de I-Ionan, o Templo Fukien tornou-se abrigo e esconderijo de muitos monges que conseguiram fugir do Templo do Norte. Durante a Dinastia Ching (Manchu) a China foi dominada por um governo tirânico, os monges de Fukien descontentes com o atual governo estabeleceram uma aliança com o antigo imperador da Dinastia Ming que garantiu a segurança do Templo durante anos.

Hung Hee Kung era defensor da Dinastia Ming, tornando-o um rebelde contra esse governo, após uma longa e exaustiva perseguição, Hung Hee Kung conseguiu fugir dos soldados Ching e se refugiou no Templo de Fukien, onde se tomou discípulo de Cheen Sin. Ele lhe ensinou suas técnicas Shaolin dos cinco animais e em pouco tempo Hung Hee Kung tornou-se o melhor aluno que o monge Cheen Sin já teve. Os monges Shaolin foram considerados rebeldes por lutarem contra o governo Ching, e em uma das batalhas, em 1734, o Templo de Fukien foi destruído. Apenas 5 monges e alguns de seus discípulos conseguiram sobreviver. O monge Cheen Sin e seu Discípulo Hun Hee Kung estavam entre eles e fugiram para Cantão onde construiriam um novo templo com ensinamentos iguais ao antigo Templo Shaolin, onde o monge Cheen Sin viveu até a sua morte. Novos rebeldes se juntaram a Hung Hee Kung para lutar contra o governo Ching, entre eles foi formado um grupo de artistas marciais de elite que mais tarde foram chamados de "Os Dez Tigres de Cantão".

Na mesma época, uma sociedade secreta denominada "Tríade" foi criada com o objetivo de lutar contra o governo Ching. Para se locomoverem de urna cidade 8 outra, sem despertar a atenção do governo, os membros se escondiam em barcos de junco que transportavam artistas da ópera chinesa. Por ficarem muito tempo dentro dos barcos, sentiram a necessidade de continuar seus treinos dentro dos barcos.

Durante os treinos, os membros sentiam grande dificuldade pela falta de espaço e pelo balançar do barco, e com isso, tiveram que desenvolver técnicas para a situação que se encontravam, foram desenvolvidas posturas firmes que lhe dessem mais força e equilíbrio, poderosos golpes de punho, e uma forte defesa, dando ênfase ao estilo Tigre.

Em uma dessas viagens, Hung Hee Kung conheceu sua esposa Fong Wing Chun, a sobrinha do lendário mestre Fong Say Yu. Fong ensinou a sobrinha uma arte marcial que se baseava no estilo Garça. Hung Hee Kung se fixou em Hong Kong e aprendeu o estilo da Garça, incorporando-o ao seu estilo Tigre. Tempos depois, Hung Hee Kung abriu uma escola de Kung-Fu batizando-a como "Hung-Gar". Pouco tempo depois seu estilo ficou conhecido como um dos melhores das cinco famílias sulistas de Shaolin (Hung-Gar, Mok-Gar, Li-Gar, Lau-Gar).

Com a fama de seu estilo, Hung Hee Kung recebe em sua escola Lok Ah Choy, discípulo de Cheen Sin que lhe pediu que continuasse seu treinamento na escola de Hung Hee Kung. Tempos depois Lok Ah Choy abriu sua própria escola e teve 2 alunos de destaque, Wong Tai e depois seu filho Wong Kay Yin, que se uniram aos "Dez Tigres de Cantão". Wong Kay Yin foi um grande lutador e teve sua fama ultrapassada somente pelo próprio filho, Wong Fei Hung, um patriota e herói do povo chinês. O mestre Wong Fei Hung teve um importante aluno, Lang Sei Wing que muitas vezes o substituiu em lutas. Lang ficou muito famoso após vencer o campeonato Dum Gau Cheung, tomando o Hung-Gar mais conhecido.

Após a morte de Wong Fei Hung, Lang Sei Wing continuou com a divulgação do Hung-gar, escreveu três livros com base nos ensinamentos de seu mestre Wong Fei Hung. Com o tempo o Hung-Gar tornou-se o estilo mais popular de Hong Kong. Entre tantos alunos podemos destacar quatro que se tomaram grandes representantes desse estilo: Lam Jô, Chan Hong Chung, Lau Chan e Chiu Kao.

Copyrigcht © 2013 Associação Fu Long Chuen